segunda-feira, 23 de julho de 2012

Me chame de Pequena, ria da minha raiva, jogue em mim todas as verdades que eu deveria saber usar, porque fui eu quem te ensinou sobre elas. Isso, me surpreenda com a tua maturidade, me segurando nos braços enquanto eu choro por não entender a mim mesma, e continuo achando essa a maior dificuldade no meu caminho. Passei tanto tempo pensando quando ia parar de te ensinar, e hoje, tua Pequena, esbarro com minha ignorância no teu colo; não sabia que a hora de aprender seria tão mais árdua. Escuto um poeta cantar "se você não pode ser forte, seja pelo menos humana", e lembro que você conhece bem as partes de mim, e que posso continuar com a parte mais delicada exposta, e aprender, pra não perder teus passos. Vou te alcançar ofegante, cansada, mas enquanto for você nesse caminho, vou ter sido feliz em cada momento.

3 comentários:

Anônimo disse...

É tão lindo que consigo comentar!
Querzia Firmino.

Anônimo disse...

QUE NEM CONSIGO*

Cinthia Freitas disse...

Amiga, vim passear aqui, depois de tanto tempo, e vejo teu comentário! Sua linda! Beijos <3

Os textos deste blog são de minha inteira autoria, excetuando eventuais publicações de autoria de terceiros que são devidamente reconhecidas.
Agradeço, de coração, a visita !



Cinthia Freitas